1

DÉCIMO SEXTO ENCONTRO - VITÓRIA PELO SANGUE DE JESUS

INVOCAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO

O SANGUE DE JESUS

"Meu irmão, minha irmã, estamos iniciando o terço da vitória pelo sangue de Jesus. Eu queria primeiro explicar a vocês por que o Sangue de Jesus. Na realidade, nós sabemos que Jesus morreu na cruz, derramando seu sangue por nós. Um sangue preciosíssimo, um sangue que não tem igual.
Entretanto, não basta acreditar em um sangue histórico no calvário. É preciso crer na fonte do sangue de Jesus fluindo agora e pela fé apropriarmo-nos do seu poder em nossa vida. É como o amor. O amor é apenas uma palavra enquanto não é demonstrado. Da mesma maneira, o Sangue é apenas uma palavra enquanto não é usado.
Munição e um arsenal são inúteis. Precisa ser tomado e usado para levar terror ao inimigo. O exército do Senhor é impotente enquanto não usar suas armas. E essas armas são poderosas, como diz São Paulo, para derrubar fortalezas. São a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus, e o Sangue, pois lemos em Apocalipse cap. 12, 11: “Eles venceram satanás pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho”. Nós precisamos da palavra e do sangue.
Se todo cristão que leva o nome de Jesus clamasse seu precioso sangue todos os dias em voz alta, creio que o resultado seria catastrófico para o reino de satanás e haveria grande libertação na Igreja e em nossas cidades.
Pouco depois da ressurreição, Jesus apareceu primeiro a Maria Madalena. Ele disse: “não me toques, pois ainda não subi para o Pai”. Por que isso? É que na Lei de Israel o sumo sacerdote não podia ser tocado pelo povo logo antes de entrar no Santo dos Santos com o sangue de animais. Somente depois de ter oferecido o sangue e sido aceito diante da sédia da misericórdia é que as pessoas comuns poderiam tocá-lo. Da mesma maneira Jesus, o sumo sacerdote, não poderia ser tocado por mãos humanas antes de ter subido ao seu Pai e oferecido seu sangue no trono de Deus. Presumimos que isso tenha se dado logo depois de ter aparecido a Maria Madalena, pois quando apareceu aos outros discípulos, dias mais tarde disse: “vede minhas mãos e meus pés sou eu mesmo, apalpai e vede: Um espírito não tem carne e ossos como vedes que eu tenho Lc 24,39. E assim aparentemente já fizera a aspersão do seu sangue, porque já se oferecia para ser tocado.
Por isso, agora, você e eu, podemos entrar no santuário mesmo do céu a qualquer momento. Toda vez que temos uma necessidade seja de libertação, de batismo no Espírito Santo, ou que seja, podemos entrar no Santo dos Santos do próprio céu. Mas, como? Sem o sangue? Não! Podemos fazê-lo apenas pelo precioso sangue de Jesus. Como diz a carta aos hebreus, cap 10,19-22: “Tendo, portanto, irmãos ousadia de entrar no Santo dos Santos, pelo Sangue de Jesus, aproximemo-nos com o coração sincero, em plena segurança de fé, tendo os nossos corações aspergidos”.
Então, precisamos clamar o sangue. E como? No começo da renovação carismática, os que recebiam o batismo no Espírito Santo, a glória do Senhor ainda pairando sobre eles, costumavam clamar repetidamente o sangue de Jesus para tudo que pesava em seus corações: parentes afastados do Senhor, dificuldades no lar, violência na cidade. Compreendendo que tinham acesso ao trono de Deus, entravam ousadamente com o sangue de Jesus. Os que buscavam o batismo no Espírito Santo recebiam grande ajuda fazendo isso e muitos sabiam que clamar o sangue é uma poderosa arma contra os maus espíritos que se opunham à oração.
Podemos ter a certeza de que quando se começa a clamar o sangue de Jesus, em voz alta, haverá quem se oponha. Clamar o sangue mexerá com aquele que não crê e ofenderá aqueles que não praticam. Mas, apesar da oposição, o uso do sangue purificará o grupo de oração e preparará a operação dos dons do Espírito Santo. Assim, como nossa vida está no sangue, a vida de Jesus está no seu sangue. Se clamamos, louvamos, aspergimos e cantamos o sangue de Jesus estamos realmente introduzindo a vida de Jesus em nossa adoração. Nossas orações e pedidos ficam cheias de vida e do poder de Jesus. E não admira que as forças inimigas façam tudo para suprimir referência do sangue. Ele odeia mais do que tudo. Honrar e clamar o precioso sangue de Jesus abre caminho para o poder de Deus se revelar onde homens e mulheres se reúnem, buscando os dons do Espírito Santo, milagres e curas. Na carta aos romanos, cap. 3,25, lemos que Deus destinou Jesus para ser, pelo seu sangue, vítima de propiciação, mediante a fé. Temos que exercer a fé em seu sangue, clamar o sangue sem fé é ineficaz. Quando clamamos o sangue em voz alta, façamo-lo com a fé simples e crente. Então ele opera. Se você tem um problema de saúde, coloque sua mão no lugar afetado e clame o sangue de Jesus por algum tempo, dizendo seguidamente: eu clamo o sangue de Jesus, eu clamo o sangue de Jesus... Outros acham que a simples repetição da palavra sangue é suficiente. Sangue, sangue, sangue... Não há regras. É o simples oferecimento do sangue de Jesus, com fé, como sacerdote do novo testamento, que traz resultados. Deus ouvirá o grito do sangue e respeitará aquilo que ele adquiriu para nós. Podemos obter todas as bênçãos da redenção de Cristo Jesus de que necessitamos. Nós, os filhos do sumo sacerdote do novo testamento, podemos agora aspergir o sangue de Jesus para o perdão, para a salvação para a redenção, cura proteção e vitória. Essa foi a ordem de Deus em Êxodo, cap. 12, 24: “Eu observarei a aspersão do sangue como uma ordem para ti e teus filhos para sempre”, para sempre. Se o sangue de Jesus deve ser aspergido hoje, em cumprimento a essa ordem de Deus, deve ser feito pelo sacerdote do novo testamento, que somos nós, que acreditamos no Filho de Deus.
E como é que se faz, então, essa aplicação do sangue? Meu irmão, minha irmã nós não temos dificuldades para compreender como aplicar um desinfetante. Nós o tomamos, aspergimos sobre o lugar infeccionado e o resultado será que os germes e os organismos vivos daquela infecção morrerão. Também não temos dificuldade de fazer a mesma coisa espiritualmente. Onde quer que o inimigo esteja agindo, precisamos aplicar o único antídoto corretivo que existe: o sangue de Jesus. Não há alternativa, não há substituto. Oração, louvor, adoração e devoção, todos tem sua parte em nosso acesso a Deus. Mas, o sangue de Jesus é o único agente eficaz contra a corrupção. Por isso, o inimigo tem sempre tentado fazer as pessoas esquecerem o valor e o poder do sangue de Jesus. Porque, se não há desinfetante, os demônios tem liberdade para continuar sua obra mortal de destruição no espírito, alma e corpo do homem.
E como aplicar esse remédio único? No antigo testamento, o sacerdote tomava um molho de ensopo, mergulhava no sangue e o aspergia ou passava nos portais das casas dos israelitas. Mas, no reino espiritual, nós tomamos o sangue pela fé, depois nós o falamos, o que é realmente uma forma de oração de intercessão. Toda vez que clamamos o sangue, estamos oferecendo a única súplica que pode trazer resultado na intercessão. Pensa o seguinte: a palavra sangue pronunciada na fé uma vez, pode ser assemelhada a uma gota de sangue lançada contra situação maligna e destrutiva com a qual nós nos defrontamos na oração. Obviamente ninguém pondo um desinfetante na sujeira do fundo de uma lata de lixo, usaria apenas uma gota. E assim quanto mais clamamos o sangue, tanto mais poder trazemos contra aquela situação. Daí o terço da vitória pelo sangue de Jesus. Mas, não deve ser uma repetição mecânica. É claro que clamar o sangue mecanicamente, uma repetição vazia, é ineficaz. Especialmente para aquele que não crê. Mas, para o filho de Deus, você e eu, que clama o sangue na fé, ele traz rapidamente resultados maravilhosos.
No antigo testamento, o sacerdote oferecia o sacrifício físico de animais: a carne era queimada, mas o sangue era guardado em bacias e usado para aspersão. E são Pedro, na primeira carta, cap. 2,5, nos diz que nos tempos do novo testamento, nós somos os sacerdotes que oferecem sacrifícios espirituais aceitáveis pra Deus e por Jesus Cristo. Sacrifícios espirituais são as contrapartidas do novo testamento, do sacrifício físico do antigo testamento. Como sacerdote de Cristo no novo testamento devemos tomar o sangue vivo de Jesus e aspergi-lo com as nossas línguas bem diante do Senhor, repetindo a palavra sangue. Imediatamente começa a ser amarrada a obra de satanás e anulados os seus efeitos malignos.
O sangue de Abel falava vingança, mas o sangue de Jesus fala paz, perdão, reconciliação para todos os que estão atormentados por satanás. Ao falarmos a palavra sangue devemos lembrar que o Sangue de Jesus carrega todo o poder, espírito e vida que estão em Jesus. Como o sangue do homem carrega sua vida, assim o sangue de Jesus carrega a vida do Filho de Deus. Toda vez que dizemos a palavra sangue na fé, estamos trazendo a força vital criadora do universo contra o poder destruidor de satanás. O sangue está continuamente beneficiando você. Mas, em qualquer situação que você perceber que está sobre o ataque do inimigo, ou precisa de proteção especial, esse é o momento de clamar pelo sangue. Assim fazendo, você estará lembrando a Deus que você confia em sua misericórdia, estará lembrando a satanás que não pode tocar você porque você está coberto pelo sangue de Jesus e estará lembrando a si mesmo do fundamento de sua confiança em Jesus. Realmente, o sangue de Jesus tem grande poder quando falado com fé. E o sangue deve ser para nós uma proteção, uma cobertura, um escudo. Somos protegidos com uma cobertura impenetrável que nos guarda do inimigo. E é por isso que em sua primeira carta, cap. 15,18, São João nos ensina que o maligno não nos pode tocar. Por isso, por causa do sangue. A qualificação para esse estado de proteção é que você deve guardar-se. O que quer dizer isso? Basicamente que você deve se manter conscientemente debaixo do sangue. Pecado não confessado nunca está debaixo do sangue. Somente quando confessados e perdoados os pecados, somos cobertos e protegidos pelo sangue. Libertações extraordinárias tem ocorrido, quando o sangue é clamado em voz audível. Não apenas clamamos o sangue contra o demônio, mas também ordenamos a satanás que tire suas garras da pessoa, em nome de Jesus. A invocação do Sangue deve geralmente ser usada em conjunção da ordem dada em nome de Jesus. “Nós somos mais que vencedores através do sangue”, diz apocalipse cap. 12,11. E assim quando nós viajamos de carro ou de avião, cubramos o carro e o avião com o sangue. Como nós abençoamos o alimento com oração, façamo-lo igualmente para proteger nossos meios de locomoção pela invocação do sangue. Convém aspergimos o sangue sobre nossos entes queridos, nossos filhos, e tudo o que Deus nos deu. Os filhos de Israel aspergiam o sangue em suas casas.
Meu irmão, minha irmã, realmente não seria bom que os cristãos se levantassem juntos para clamar o sangue de Jesus contra as forças demoníacas que estão tentando conquistar nossas cidades e nossos jovens? Nós precisamos descobrir as dimensões mais profundas do combate espiritual pela invocação do sangue de Jesus. Grandes milagres podem ocorrer se aprendermos esse segredo. Pois há grande poder que opera maravilhas no sangue de Jesus. Assim, eu convido você, meu irmão, minha irmã, a começarmos agora o terço da vitória pelo Sangue de Jesus."

Obs.: O texto foi extraído de uma cópia de CD, proveniente do Piauí, onde não consta o nome do Padre que está fazendo a oração. Assim, como foi possível a cópia, achei que não seria mal a divulgação do trabalho para a honra e glória do Senhor. Que Deus abençoe o padre e a sua paróquia.

Após foi feito o terço da Vitória pelo Sangue de Jesus.

Participação da Santa Missa

1 comentários:

Fatima Lordello disse...

O Terço da Vitória pelo Sangue de Jesus, bem como a palestra são da Comunidade Emanuel (RJ) A palestra é proferida por Dom Cipriano Chagas, seu fundador.

Postar um comentário

Para postar a sua mensagem, digite o texto na área que está em branco logo abaixo.
Depois, no item Comentar como, selecione o perfil Nome/URL.
Digite seu nome e e-mail. Após isso, clique em Postar comentário.